sábado, 17 de outubro de 2015

Análise de Viabilidade em Projetos


Comumente, a idéia de um projeto vem em nossa mente como um furacão. E deve ser assim: a primeira pessoa que ele deve impressionar é a nós mesmos. Somos o primeiro a comprar a idéia, entendê-la e elogiá-la mentalmente, ainda que de modo inconsciente. Mas, uma hora ela precisa sair da nossa cabeça e se expor de modo concreto, tornando-se um projeto implementado. Cada projeto leva seu tempo e possui sua complexidade. Isso já falamos aqui diversas vezes. Nessa postagem queremos frisar uma palavra em especial: Viabilidade. Essa palavra está presente desde o início da implementação e direciona as escolhas feitas no projeto, no que tange a peças, acessórios, sensores, atuadores, plataformas, software, entre outras coisas. Além disso, tem uma relação com a complexidade e o custo do projeto. 

Via de regra, nenhum projeto pode ser considerado inviável, se você possui os recursos para implementá-lo. O problema é que, diversas vezes não consideramos o fato de que, o objetivo final de um determinado projeto pensado pode ser muito simples e realizado por um tipo de dispositivo mais simples ainda, o que torna o nosso projeto muitas vezes concorrente de algo mais barato e viável. Por exemplo: hoje em dia é muito fácil utilizar dispositivos móveis. Vemos todos os dias idéias de aplicativos que usam GPS que consideram cálculos por contagem de pontos de unidades móveis. Imagine um aplicativo que calcula a estimativa do número de pessoas em um show. O desenvolvedor considera de antemão que o seu aplicativo vai estar em um número minimo de celulares para poder efetuar essa contagem, como em uma amostragem. Estatisticamente, a probabilidade de atingir o êxito nessa empreitada está dependente sempre do sucesso do aplicativo. Caso muitas pessoas não usem, o aplicativo não pode gerar informações confiáveis. Assim, o projeto nasce com uma dependência de viabilidade que só será alcançada se isso acontecer. Isso dificulta a realização dos testes, entre outras coisas.

Esse exemplo citado acima ainda mostra um problema que tem relação com a viabilidade do projeto, que é a aceitação das pessoas. Se o projeto é direcionado para resolver um problema real, o projeto tem tudo para dar certo. Mas, nem sempre o que o idealizador do projeto considera como problema real é de fato, para os outros, um problema. Isso precisa ser verificado antes da implementação para não correr o risco de perder muito tempo em algo inútil.

Outro problema que enxergamos, em diversos projetos, é o uso de dispositivos e componentes muito precisos e caros para realizar tarefas muito simples. Por exemplo: um MP3 player feito com Raspberry / Arduino Tre / ou qualquer outra plataforma que usa um microprocessador. A menos que esse MP3 player possua funcionalidades específicas que exijam um processamento mais pesado (controle por voz, gestos ou inteligência artificial, por exemplo), não faz sentido usar uma plataforma tão cara. Existem módulos MP3 que podem ser controlados por Arduinos mais simples, e que não custam mais de 5 dólares.

Por isso, antes de desenvolver sua idéia em uma implementação, vale a pena pesquisar e analisar para que o custo, a complexidade e a falsa idéia de solução perfeita, não o decepcionem durante o caminho.


Nenhum comentário:

Postar um comentário